Visita da Cruz Missionária e o Mês Missionário Extraordinário

Carta para a visita da Cruz Missionária e o Mês Missionário Extraordinário

Centro Diocesano de Pastoral (CDP), Três Corações, 26 de junho de 2019.

Querido irmão presbítero,

Queridos(as) irmãos e irmãs dos Conselhos Pastoral e Administrativo de nossas paróquias,

O Papa Francisco proclamou outubro de 2019 como Mês Missionário Extraordinário para celebrar o centenário da carta Apostólica Maximum Illud do Papa Bento XV, com o objetivo de: “despertar em maior medida a consciência da missio ad gentes e retomar com novo impulso a transformação missionária da vida e da pastoral”. Trata-se de um acontecimento eclesial de grande importância que abrange toda a Igreja, em suas mais diversas expressões: bispos, presbíteros, diáconos, seminaristas, religiosas(os), pastorais, movimentos, associações, organismos, obras sociais e culturais etc.

Para reavivar a consciência batismal do Povo de Deus em relação a missão da Igreja, o Papa Francisco escolheu para o Mês Missionário Extraordinário o tema “Batizados e enviados: a Igreja de Cristo em missão no mundo”.

A desejada vitalidade missionária foi expressa pelo Papa Francisco na Evangelii Gaudium: “A ação missionária é o paradigma de toda obra da Igreja” (EG 15). Trata-se de “pôr a missão de Jesus no coração da Igreja, transformando-a em critério para medir a eficácia de suas estruturas, os resultados de seu trabalho, a fecundidade de seus ministros e a alegria que eles são capazes de suscitar. Porque sem alegria não se atrai ninguém” (Reunião do Comitê diretor do CELAM, Bogotá, 7 de setembro de 2017).

O compromisso com a conversão pessoal, comunitária e pastoral a Jesus Cristo crucificado, ressuscitado e vivo em sua Igreja, renovará o ardor e a paixão por testemunhar ao mundo, através da proclamação e da experiência cristã, o Evangelho da vida e da alegria pascal (Lc 24, 46-49).

A ideia central neste processo de preparação para o MME é inserir dentro da programação ordinária e habitual das Igrejas locais, a temática e o espírito do mês missionário, visando a conversão pastoral missionária. Será uma ocasião para despertar, animar e não cansar as comunidades.

A cruz é o instrumento e o sinal eficaz da comunhão entre Deus e os homens para a universalidade da nossa missão. Ela abraça todos os homens e mulheres deste mundo e, precisamente graças a ela, estamos unidos, conectados e abertos à comunhão. Da cruz brota o batismo para a salvação do mundo para o qual somos enviados para anunciar o Evangelho de Jesus.

Na última AG da CNBB, nosso bispo, Dom Pedro, foi informado que uma réplica da cruz missionária seria enviada à nossa Diocese e esta deverá visitar todas as nossas paróquias até o dia 27 de outubro, dia em que o Conselho Missionário Diocesano (COMIDI) está planejando realizar uma grande concentração missionária em nossa diocese, para marcar o Mês Missionário Extraordinário. O envio da Cruz Missionária acontecerá amanhã, na manhã de espiritualidade do clero. Segue anexo:

      ✔ o calendário das visitas da Cruz Missionária;

      ✔ o simbolismo da Cruz Missionária;

      ✔ a logomarca do mês missionário extraordinário;

      ✔ a oração do mês missionário extraordinário;

      ✔ as dimensões do mês missionário extraordinário;

      ✔ propostas concretas para a visita da Cruz Missionária e o mês missionário extraordinário;

     ✔ propostas de temas para as novenas dos padroeiros e

     ✔ a Carta Apostólica Maximum Illud, do papa Bento XV, de novembro de 1919.

Desejo que esta visita, apesar de rápida, possa ser um momento de oração, concentração e despertar de uma consciência mais missionária em nossas paróquias e diocese, afinal a missionariedade é o remédio proposto pelo Papa Francisco para os males da Igreja (autorreferencialidade, clericalismo, estagnação…) e o caminho apontado pelos nossos bispos nas novas DGAE para renovar nossas paróquias e comunidades.


Com afeto e estima,
Pe. Jean Poul Hansen
Coordenador Diocesesano de Pastoral

Calendário da Peregrinação da Cruz Missionária

ENVIO:

27/06 – MANHÃ DE ESPIRITUALIDADE DO CLERO – PARÓQUIA SANTA RITA – TRÊS CORAÇÕES/MG

(As visitas às Paróquias constam de dois ou três dias. Nas maiores, o dia da chegada, o dia da permanência e o dia da despedida, sendo que o dia da despedida coincide com o dia da chegada na paróquia seguinte. Estes horários (despedida e chegada) devem ser combinados entre os dois párocos/adm. paroquiais, o que se despede e o que recebe. Nas menores, foi omitido o dia da permanência, ficando a visita com apenas dois dias (o da chegada e o da partida) para que fosse possível visitar todas as paróquias.
 

FORANIA N. SRA. DAS FONTES:

27 e 28/06 – CORDISLÂNDIA

28, 29 E 30/06 – CAMPANHA

30/06 E 01/07 – SEMINÁRIO DIOCESANO N. SRA. DAS DORES

01 E 02/07 – SEMINÁRIO PROPEDÊUTICO SÃO PIO X

02 E 03/07 – COMUNIDADE TEOLÓGICA SENHORA DO CARMO (POUSO ALEGRE)

03 E 04/07 – MONSENHOR PAULO

04, 05 E 06/07 – SÃO GONÇALO DO SAPUCAÍ

06 e 07/07 – CAREAÇU

07, 08 E 09/07 – NATÉRCIA

09 e 10/07 – HELIODORA

10, 11 e 12/07 – LAMBARI

12 e 13/07 – OLÍMPIO NORONHA

13 e 14/07 – JESUÂNIA
 

FORANIA N. SRA. DOS MONTES

14 e 15/07 – CARMO DE MINAS

15 e 16/07 – DOM VIÇOSO

16 e 17/07 – CRISTINA

17 E 18/07 – PEDRALVA

18 e 19/07 – SÃO JOSÉ DO ALEGRE

19 e 20/07 – CONCEIÇÃO DAS PEDRAS

20, 21 e 22/07 – SÃO LOURENÇO (MÁRTIR)

22, 23 e 24/07 – SÃO LOURENÇO (SS. TRINDADE)

24, 25 e 26/07 – SÃO LOURENÇO (N. SRA. DAS GRAÇAS)

26 e 27/07 – SOLEDADE DE MINAS
 

FORANIA BEATA NHÁ CHICA

27 e 28/07 – CONCEIÇÃO DO RIO VERDE

28 e 29/07 – CAXAMBU

29, 30 e 31/07 – BAEPENDI

01, 02 e 03/08 – CRUZÍLIA

03 e 04/08 – CARVALHOS

04 e 05/08 – SERRANOS

05 e 06/08 – SERITINGA

06 e 07/08 – AIURUOCA
 

FORANIA N. SRA. APARECIDA

07 e 08/08 – ALAGOA

08, 09 e 10/08 – ITAMONTE (10/08 – ROMARIA DIOCESANA)

10 e 11/08 – SANTANA DO CAPIVARI

11, 12 e 13/08 – ITANHANDU

13, 14 E 15/08 – POUSO ALTO 

15 E 16/08 – SÃO SEBASTIÃO DO RIO VERDE

16, 17 E 18/08 – VIRGÍNIA (17/08 – ORDENAÇÃO DIACONAL)

18, 19 e 20/08 – PASSA QUATRO – (RETIRO DO CLERO DIOCESANO)
 

FORANIA N. SRA. DE FÁTIMA

20, 21 e 22/08 – VARGINHA (DIVINO) – (RETIRO DO CLERO DIOCESANO)

22, 23 e 24/08 – VARGINHA (ROSÁRIO)

24, 25 e 26/08 – ELÓI MENDES (DIVINO)

26, 27 e 28/08 – ELÓI MENDES (BOM PASTOR)

28, 29 e 30/08 – VARGINHA (FÁTIMA)

30 E 31/08 e 01/09 – VARGINHA (SÃO JOSÉ)

01, 02 e 03/09 – VARGINHA (MÁRTIR)

03, 04 e 05/09 – VARGINHA (CRISTO LUZ DOS POVOS)

05, 06 e 07/09 – VARGINHA (IMACULADA)

07, 08 e 09/09 – VARGINHA (FREI GALVÃO)

09, 10 e 11/09 – VARGINHA (SANTANA)
 

FORANIA N. SRA. DOS CAMPOS

11, 12 e 13/09 – CAMBUQUIRA

13, 14 e 15/09 – TRÊS CORAÇÕES (COTIA)

15, 16 e 17/09 – TRÊS CORAÇÕES (SANTA TEREZA)

17, 18 e 19/09 – TRÊS CORAÇÕES (N. SRA. APARECIDA)

19, e 20/09 – SÃO TOMÉ DAS LETRAS

20 e 21/09 – SÃO BENTO ABADE

21, 22 e 23/09 – TRÊS CORAÇÕES (SAGRADA FAMÍLIA)

23, 24 e 25/09 – TRÊS CORAÇÕES (N. SRA. DAS GRAÇAS)

25, 26 e 27/09 – TRÊS CORAÇÕES (SANTA RITA)

27, 28 e 29/09 – CARMO DA CACHOEIRA
 

FORANIA BEATO PE. VICTOR

29, 30/09 e 1º/10 – NEPOMUCENO

1º, 02 e 03/10 – COQUEIRAL

03, 04 e 05/10 – SANTANA DA VARGEM

05, 06 e 07/10 – BOA ESPERANÇA (DORES)

07, 08 e 09/10 – BOA ESPERANÇA (STA. RITA)

09, 10 e 11/10 – ILICÍNEA

11, 12 e 13/10 – GUAPÉ

13, 14 e 15/10 – ITACI

15, 16 e 17/10 – CAMPO DO MEIO

17, 18 e 19/10 – CAMPOS GERAIS

19 e 20/10 – CÓRREGO DO OURO

20, 21 e 22/10 – TRÊS PONTAS (CRISTO REDENTOR)

22, 23 e 24/10 – TRÊS PONTAS (AJUDA)

24, 25 e 26/10 – TRÊS PONTAS (APARECIDA)
 

ENCERRAMENTO:

27/10 – GRANDE CONCENTRAÇÃO MISSIONÁRIA DIOCESANA – VARGINHA

O simbolismo da Cruz Missionária

cruzmissionariaA cruz missionária recorda a Páscoa de Jesus que ilumina nossa vida e missão.

1. A haste está em forma de espiral ascendente. Recorda o movimento característico da missão, da encarnação em direção a Páscoa de Jesus, crucificado e ressuscitado que ilumina e transforma a realidade.

2. Os cravos testemunham o martírio de Jesus na Cruz.

3. As flores que brotam da cruz, representam a vida nova que nasce da Páscoa de Jesus Cristo. Em meio a dor e sofrimento, Deus se manifesta e faz ressurgir a esperança e alegria do Evangelho.

4. A inscrição IHS significa: Jesus, Filho de Deus, Salvador dos Homens.

5. A Relíquia de Santa Nazária¹, fundadora de uma Congregação Missionária feminina na Bolívia².

A cruz missionária neste formato faz memória das missões jesuítas da Bolívia e a Evangelização dos povos da América Latina. Ela expressa o amor infinito de Deus e salvação da humanidade. Hoje, a cruz continua inspirando a evangelização dos povos e animando nossa espiritualidade da ação missionária.

O Papa Francisco no dia 9 de julho de 2015, em sua visita à Bolívia, abençoou 40 cruzes missionárias neste formato e as entregou para representante dos vinte três países do continente Americano como forma preparação ao 5º Congresso Missionário Americano (CAM 5) que aconteceu em julho de 2018 em Santa Cruz de La Sierra na Bolívia.

Para dar continuidade aos congressos missionários em âmbito de América e Brasil, propomos que a cruz missionária seja nosso grande símbolo para a preparação do Mês Missionário Extraordinário convocado pelo Papa Francisco para outubro de 2019 com objetivo de: “despertar em medida maior a consciência da missio ad gentes e retomar com novo impulso a transformação missionária da vida e da pastoral”.

Para tanto, no encerramento da 57ª Assembleia Geral da CNBB, em 10 de maio de 2019, no Santuário Nacional de N. Sra. Aparecida, foram entregues a cada bispo diocesano do Brasil uma réplica desta cruz para que visite e anime cada paróquia/comunidade na missão universal da Igreja.


¹ Nazária Ignacia March Mesa nasceu em 10 de janeiro de 1889, em Madri (Espanha), no seio de uma família operária. Seus pais foram José March e Nazária Mesa. Por motivos econômicos tiveram que emigrar para o México. Ali entrou na Congregação das Irmãzinhas dos Anciãos Desamparados. No dia de sua profissão religiosa tomou o nome de Nazária de Santa Teresa. Em 1912 como seu primeiro destino foi enviada para Oruro (Bolívia), onde se dedicou durante doze anos ao cuidado dos anciãos. Em 1920, enquanto fazia seus exercícios espirituais, sentiu o chamado para fundar uma nova congregação religiosa, com a finalidade de conduzir o estandarte da Cruz. Desse modo, em 16 de junho de 1925, saiu das Irmãzinhas dos Anciãos Desamparados e fundou a Congregação das Missionárias da Cruzada Pontifícia, pois em suas próprias palavras, suas religiosas tinham que «empreender uma cruzada de amor entorno à Igreja». Sua missão específica a desempenhavam nas escolas e outros tipos de atividades pastorais, com uma espiritualidade marcadamente inaciana. Em 1927 professaram as primeiras religiosas e três anos mais tarde, Nazária foi eleita superiora geral. Durante seu governo, ela mesma se encarregou de difundir a congregação na Bolívia, Argentina, Uruguai e Espanha; na atualidade a congregação está presente em 21 países de quatro continentes. Em 1933, Nazária organizou as mulheres dos mercados e comércios de Oruro para formar o primeiro sindicato operário feminino da Bolívia. Agora, na Argentina, Nazária Ignacia morreu em Buenos Aires em 6 de julho de 1943. Seu corpo foi trasladado para Oruro em 1972, como pediu antes de sua morte.
² A nossa versão da cruz não possui esta relíquia, apenas as originais abençoadas pelo Papa na Bolívia

A logomarca do Mês Missionário Extraordinário

batizados-e-enviadosO símbolo é sempre uma ponte que une o visível ao invisível e os transporta um no outro (P. Evdokimov).

A logomarca mostra uma cruz missionária cujas cores tradicionais lembram os cinco continentes. A cruz acolhe o mundo e favorece o encontro entre os povos, a comunicação entre as pessoas e com a Igreja universal, como se fosse um link, criando laços reais entre os povos.

A cruz é o instrumento e o sinal eficaz da comunhão entre Deus e os homens para a universalidade da nossa missão.

O mundo é transparente. Isso significa que nossa ação de evangelização não tem barreiras nem fronteiras. É o fruto do Espírito Santo. A cruz abraça todos os homens e mulheres deste mundo e, precisamente graças a ela, estamos unidos, conectados e abertos à comunhão. Nossa solidariedade é universal; de fato, o mundo transfigurado no Espírito supera as distâncias e abre o olhar da nossa mente e do nosso coração. É o amor de Jesus que não conhece limites e fronteiras.

As palavras BATIZADOS E ENVIADOS, que acompanham a imagem, indicam os dois elementos característicos e inalienáveis de todo cristão: o batismo e o anúncio. Da cruz brota o batismo para a salvação do mundo para o qual somos enviados para anunciar o Evangelho de Jesus.

As cores da cruz são aquelas tradicionalmente atribuídas aos cinco continentes: vermelho para a América, verde para a África, branco para a Europa, amarelo para a Ásia e azul para a Oceania. Cada cor tem um significado simbólico que torna possível a conexão entre os continentes através dos povos, na comunhão de Deus com a humanidade.

O vermelho recorda o sangue dos mártires do continente americano, sementes para uma nova vida na fé cristã. É a cor da paixão dos missionários que, tendo chegado a um novo país, estão interessados na salvação do povo. Ainda hoje é um sinal da paixão daqueles que permanecem fiéis ao Evangelho. O vermelho lembra a terra e tudo o que é terrestre. É uma cor viva e comunicativa.

O verde é a cor da vida, da natureza, da vegetação. Simboliza crescimento, fertilidade, juventude e vitalidade. Verde é a cor que harmoniza o todo. O continente africano é chamado a essa harmonia mesmo no meio do deserto e do sofrimento. É a cor da esperança, uma das três virtudes teológicas.

O branco é símbolo da alegria, o começo de uma nova vida em Cristo. É o desafio para uma Europa antiga, chamada a reapropriar-se da força evangelizadora que a gerou, graças a tantas Igrejas.

O amarelo é cor de luz, que se alimenta de luz invocando a verdadeira Luz. A Ásia é o continente onde nasceu Jesus, o Filho de Deus, nosso Sol, que se surge do alto.

O azul é a cor da Oceania, formada por inúmeras ilhas espalhadas pelo oceano. É a cor que mais se aproxima do invisível, recorda a vida divina, lembra o mistério e nos convida à transcendência em relação a tudo o que é terreno e sensível. É a cor da água da vida que mata a sede e nos restaura ao longo do caminho para Deus; é a cor do nosso céu que é o sinal da morada de Deus conosco.

Oração do Mês Missionário Extraordinário

Pai Nosso,
o teu Filho unigênito Jesus Cristo,
ressuscitado dentre os mortos,
confiou aos seus discípulos:
“Ide e fazei discípulos todos os povos”.
Recorda-nos que, pelo batismo,
tornamo-nos participantes da missão da Igreja.
Pelos dons do Espírito Santo,
concedei-nos sermos testemunhas do Evangelho,
corajosos e vigilantes,
para que a missão confiada à Igreja,
ainda longe de estar realizada,
encontre novas e eficazes expressões
que levem vida e luz ao mundo.
Ajudai-nos, Pai Santo,
a fazer com que todos os povos
possam encontrar-se com o amor
e a misericórdia de Jesus Cristo,
Ele que é Deus convosco,
e vive e reina na unidade do Espírito Santo,
agora e para sempre.
Amém.

As Dimensões do mês missionário extraordinário

As cartas de motivação e convocação do papa Francisco e do Cardeal Filoni para o mês missionário extraordinário indicam seis dimensões a serem contempladas na sua preparação e realização:

1. Encontro: A missão nasce do encontro com Jesus que dá novo horizonte a vida (DAp 29). O encontro com Jesus Cristo vivo em sua Igreja é pessoal: Eucaristia, Palavra de Deus, oração pessoal e comunitária. É preciso destacar a centralidade da pessoa e missão de Jesus Cristo e promover o encontro com Ele em nossas comunidades;

2. Testemunho e vivências: temos muitas testemunhas do Evangelho. É preciso valorizar os padroeiros da missão, Santa Terezinha e São Francisco Xavier e o testemunho dos santos e santas, mártires da missão e confessores da fé, expressão das Igrejas dispersas em todo o mundo. Em nossa diocese, precisamos valorizar especialmente nossos beatos e servos de Deus, em sua dimensão missionária;

3. Formativa: a partir do tema do mês missionário extraordinário e da Carta Apostólica Maximum Illud do Papa Bento XV, é preciso refletir bíblica e teologicamente com nossas comunidades sobre a identidade missionária de todo povo de Deus, recuperar a proposta de itinerário formativo do discípulo missionário descrito no documento de Aparecida, superando apenas eventos e iniciativas isoladas. Faz-se necessário considerar a evolução histórica do conceito da missio ad gentes e a fundamentação dos conceitos de missão programática (aquela que nós programamos e realizamos) e missão paradigmática (aquela que é o paradigma de toda a nossa programação e ação eclesial).

4. Caridade missionária: promover e motivar a coleta missionária e valorizar ações concretas de compromisso com os mais pobres, especialmente os povos da Amazônia legal, com suas realidades; e as visitas missionárias no interior da comunidade/paróquia, nas paróquias da forania e diocese e mesmo ad gentes;

5. Cooperação: é importante conectar o mês missionário extraordinário com o Sínodo para Amazônia; dar maior visibilidade e impulsionar os projetos Igrejas irmãs (a nossa é Bragança do Pará) e Ad Gentes e as diversas experiências missionárias, destacando o testemunho de missionários(as) que atuam dentro e fora do Brasil (a Vida Religosa presente em nossas comunidades podem nos oferecer estes testemunhos);

6. Celebrativa: além de celebrar intensamente a chegada da Cruz, o dia de sua permanência e a sua despedida, valorizar o Dia Mundial Missões com a vigília que antecede no dia 19/10/19; propor aos folhetos litúrgicos a oração dos fiéis e a oração missionária; incentivar a novena e terço missionário; propor ligação com os meses temáticos (mariano, vocacional, semana da família e bíblia), valorizar a temática do mês missionário extraordinário nos retiros dos padres, dos(as) consagrados(as), seminaristas e leigos e nas novenas dos padroeiros.

Propostas concretas para A visita da Cruz missionária e o Mês Missionário Extraordinário

     ✔ Dar maior visibilidade aos projetos missionários ad gentes e Igrejas Irmãs;

   ✔ Promover a oração pelas missões em todos os níveis;

     ✔ Recuperar o sentido do mês missionário;

     ✔ Ter como inspiração as três formas de cooperação missionária: oração, oferta e saída missionária;

     ✔ Incentivar a coleta no Dia Mundial das Missões;

     ✔ Assumir nos grandes encontros diocesanos (Pentecostes Diocesano, DNJ, Encontro Diocesano de Acólitos, Jornada Catequética etc) a temática do mês missionário extraordinário: Batizados e Enviados;

     ✔ Conectar a Romaria a Aparecida com a temática do mês missionário extraordinário;

     ✔ Divulgar a peregrinação da Cruz Missionária o mês missionário extraordinário nas mídias sociais;

     ✔ Produzir e divulgar vídeos com testemunhos missionários;

     ✔ Preparar publicações sobre a Visita da Cruz Missionária e o mês missionário extraordinário para os informativos diocesanos e paroquiais;

     ✔ Peregrinar da cruz missionária e bandeira com o logo do mês missionário extraordinário em todas as dioceses e paróquias;

     ✔ Pastoral juvenil realizar atividade pública de anúncio do Evangelho.

     ✔ Nas novenas dos santuários diocesanos contemplar a temática do mês missionário extraordinário.

     ✔ Inserir a temática do mês missionário extraordinário na Semana da Família e Hora da Família;

     ✔ Trabalhar a temática do mês missionário extraordinário em encontros de formação e retiros;

     ✔ Promover ações concretas de caridade missionária;

     ✔ Fortalecer os COMIREs, COMIDIs;

     ✔ Criar e fortalecer os COMIPAs (Conselhos Missionários Paroquiais);

     ✔ Destacar a vocação missionária de todo batizado no mês vocacional;

     ✔ Incentivar a reflexão bíblica sobre a Missão no mês da Bíblia;

     ✔ Inserir comentário, preces e a oração do mês missionário extraordinário nos folhetos litúrgicos;

     ✔ Abordar a temática do mês missionário extraordinário nas homilias, especialmente em outubro e no período em que a Cruz Missionária estiver na paróquia;

     ✔ Motivar os movimentos, novas comunidades e associações laicais para um maior impulso missionário;

     ✔ Aproveitar a visita da Cruz Missionária e o mês missionário extraordinário para falar sobre o caminho da 5ª Assembleia Diocesana de  Pastoral, o Sínodo da Amazônia e as novas DGAE-2019-2023;

     ✔ Preparação, abertura do mês missionário extraordinário e lançamento do material da Campanha Missionária.

     ✔ Preparar e realizar a novena missionária com os testemunhos da Campanha Missionária;

     ✔ Realizar vigília 19/10/19, visitas missionárias e coleta no Dia Mundial das Missões (19 e 20/10);

     ✔ Envolver todas as comunidades, pastorais, movimentos, associações, organismos, obras culturais e sociais, escolas públicas e privadas na visita da Cruz Missionária;

     ✔ Aproveitar a presença da Cruz Missionária para fazer memória partilhada das SMP e reacender a sua chama;

     ✔ Preparar e participar da Grande Concentração Missionária Diocesana (27/10/19);

Proposta de temas para as novenas dos padroeiros

Tema geral:
Batizados e enviados:
a Igreja de Cristo em missão no mundo.

1. O encontro com Jesus Cristo.

2. Batizados e enviados.

3. Missão, identidade da Igreja (focar no testemunho do padroeiro da comunidade).

4. Missão além-fronteiras (valorizar a experiência dos que fizeram estágio missionário no Pará).

5. Testemunhas da missão.

6. Caridade, fonte e expressão da missão.

7. Formação de discípulos missionários (fundamentar no DAp).

8. Missão e o bem comum com atenção as Políticas Públicas (vincular à CF-2019).

9. Missão e sínodo da Amazônia.

Carta Apostólica Maximum Illud - Bento XV

9. Carta Apostolica Maximum Illud - Bento XV 0001
9. Carta Apostolica Maximum Illud - Bento XV 0002
9. Carta Apostolica Maximum Illud - Bento XV 0002
9. Carta Apostolica Maximum Illud - Bento XV 0003
9. Carta Apostolica Maximum Illud - Bento XV 0004
9. Carta Apostolica Maximum Illud - Bento XV 0005
9. Carta Apostolica Maximum Illud - Bento XV 0006
9. Carta Apostolica Maximum Illud - Bento XV 0007

MÊS MISSIONÁRIO EXTRAORDINÁRIO E GRANDE CONCENTRAÇÃO MISSIONÁRIA PAUTARAM REUNIÃO NA ÚLTIMA TERÇA-FEIRA

WhatsApp Image 2019-07-10 at 16.31.45Na última terça-feira, 09/07, reuniram-se na Casa Paroquial da Paróquia do Divino Espírito Santo, em Elói Mendes/MG, o Coordenador Diocesano de Pastoral – Pe. Jean Poul – e o coordenador do Conselho Missionário Diocesano (COMIDI) – Pe. Geraldo Pereira de Freitas – , que contaram com a colaboração e secretaria do futuro diácono Douglas Hilário.

Em pauta o Mês Missionário Extraordinário, em outubro próximo, que será preparado em encontros que acontecerão simultaneamente nas 7 foranias, no dia 31/08, com assessoria do COMIDI e a Grande Concentração Missionária que será a culminância diocesana do Mês Missionário Extraordinário, dia 27/10, no VTC (Varginha Tênis Clube), em Varginha.

Detalhes de ambos os eventos serão finalizados em futuras reuniões com o Bispo Diocesano – Dom Pedro Cunha Cruz –, com o Economato, com o Conselho Diocesano de Pastoral (CODIPA) e com Conselho Missionário Diocesano.

Importante, por ora, é que todos nós reservemos em nossas agendas estas duas datas:

31/08 – Formação Missionária nas Foranias;

27/10 – Grande Concentração Missionária Diocesana, em Varginha.

Coordenação Diocesana de Pastoral

 

Sky Bet by bettingy.com